África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Ban frustrado às vésperas da Rio+20
Thalif Deen

Nações Unidas, 25/5/2012, (IPS) - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, expressou sua frustração pela falta de progressos substanciais nas discussões sobre um plano de ação a ser aprovado na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

"Estou decepcionado com as negociações. Não estão avançando rápido o suficiente", lamentou.

O secretário-geral acredita que a Rio+20, que acontecerá entre 20 e 22 de junho, no Rio de Janeiro, é o espaço ideal para tratar dos principais problemas econômicos e ambientais do planeta. "Temos um plano ambicioso para conseguir um progresso real. Contudo, necessitamos de um acordo nos temas mais difíceis", afirmou. Este acordo, no entanto, continua difícil de ser alcançado, apesar das várias rodadas de negociações realizadas a portas fechadas.

"Parabenizamos Ban Ki-moon por colocar o desenvolvimento sustentável como tema central de seu segundo mandato", declarou à IPS o diretor-político do Greenpeace Internacional, Daniel Mittler, que acompanha de perto as negociações. "Compartilhamos a decepção com o fato de os governos darem prioridade aos países que contaminam, flexibilizam seus compromissos e se perdem em centenas de colchetes (indicadores de desacordos), em lugar de trabalharem pelo futuro que queremos: com zero desmatamento, oceanos saudáveis e energia para todos", acrescentou.

Ban deve continuar deixando claro que desta maneira não se chegará a nada, opinou Mittler. Consultado sobre as possibilidades de se concretizar um documento positivo antes de começar a cúpula, respondeu que "até agora, o que está sobre a mesa para a Rio+20 é vergonhosamente inadequado". Ressaltou que os governos atendem aos interesses dos que contaminam e não do restante das pessoas, e acusou especificamente Canadá e Estados Unidos de "diluírem seus compromissos".

Mittler contou que, em uma sessão das negociações, a delegação norte-americana alegou que tinha "um problema com a palavra 'comprometer'. Isto resume a situação em que nos encontramos hoje, com governos que vergonhosamente não estão dispostos a se comprometer, nem a fazer as transformações que precisamos".

A Rio+20 fará uma revisão dos passos dados desde a Cúpula da Terra, realizada no Rio de Janeiro em 1992, que reafirmou a integração do meio ambiente à agenda de desenvolvimento das Nações Unidas. Depois de duas longas sessões, o Comitê Preparatório (Prepcom), integrado pelos 193 países-membros da ONU, continua fortemente dividido. Após uma reunião no mês passado, o PrepCom realizará nova sessão no dia 29 e outra, final, de três dias em meados de junho no Brasil, pouco antes de começar a Rio+20, para discutir o plano de ação proposto, chamado "rascunho zero". As negociações também incluem cinco encontros regionais.

Antecipando-se a outro fracasso na próxima semana, o secretário-geral disse que solicitou aos governos que concluam o rascunho do plano de ação, intitulado O futuro que queremos, bem antes do início da Rio+20. "Não podemos esperar até que cheguem ao Rio", advertiu Ban, acrescentando que "um êxito significa que haverá luz em lugares onde as pessoas antes viviam às escuras, e alimentos para as famílias que hoje estão famintas". Um acordo no Rio de Janeiro também dever proteger os oceanos e melhorar a vida nas cidades, acrescentou, afirmando que "permitirá avanços em todo nosso planeta".

Entretanto, o porta-voz do secretário-geral, Martin Nesirky, disse na semana passada aos jornalistas que ninguém deve se surpreender com a dificuldade desse processo. "É uma conferência grande e importante, e naturalmente seus objetivos também são muito importantes para toda a humanidade. Assim, deve-se esperar que as negociações preliminares sejam complexas", observou. Na semana passada, Ban Ki-moon afirmou que é esperada a participação de aproximadamente 70 mil pessoas na cúpula, incluindo mais de cem líderes mundiais, bem como representantes da sociedade civil, do setor privado e da mídia internacional.

Por seu lado, Mittler indicou à IPS que a Rio+20 deveria conseguir um acordo para deter o desmatamento e propiciar uma revolução energética baseada nas fontes renováveis e na eficiência. Também lembrou que há uma área em que os governos ainda não podem conseguir verdadeiros progressos: a proteção do mar. Atualmente, mais de 60% dos oceanos são explorados e não há forma legal de criar áreas protegidas em alto mar, que não se encontra sob nenhuma jurisdição nacional em particular.

Muitos governos, cientistas e organizações não governamentais pressionam para que, ao final da Rio+20, seja concretizado o Acordo sobre Biodiversidade em Alto Mar. No momento, segundo Mittler, este acordo ainda está sendo negociado. "Dependendo de os governos se comprometerem ou não, se verá claramente a quem estão ouvindo, se o povo ou os que contaminam", ressaltou. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 U.S. Airdrops to Kobani Kurds Mark New Stage in ISIL Conflict
 History of Key Document in IAEA Probe Suggests Israeli Forgery
 Pressure Building on Obama to Impose Ebola Travel Ban
 Despite Public’s War Weariness, U.S. Defence Budget May Rise
 Ahead of Myanmar Trip, Obama Urged to Demand Extractives Transparency
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Al Bagdadi y la guerra sin cuartel en nombre del califato
 Costo y oportunidad del petróleo no convencional en Argentina
 Indígenas panameños quieren aprovechar mejor sus bosques
 Historia de documento de la AIEA sugiere falsificación de Israel
 Israel planea expulsión masiva de beduinos en Cisjordania
MÁS >>