África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Cooperativas, alternativa para trabalho juvenil
Beatrice Paez

Toronto, Canadá, 9/10/2012, (IPS) - Jovens em diferentes partes do mundo enfrentam limitadas perspectivas de trabalho pelas vias tradicionais.


Crédito: Damon Van der Linde/IPS
O serraleonês Emmanuel Kargbo trabalha com um arado de motor que recebeu da cooperativa agrícola à qual pertence.
Em meio a esta crise de emprego, as cooperativas buscam maneiras de manter contato com esta reserva de talentos não aproveitados. É por isto que a Cúpula Internacional de Cooperativas, que acontece, de ontem e até dia 11, na cidade canadense de Quebec, reservará cadeiras para futuros líderes. Cerca de 150 jovens foram convidados para representar suas respectivas organizações cooperativas neste encontro mundial.

É uma oportunidade para manterem contatos com seus pares e aprenderem dos mais velhos sobre suas cooperativas, disse, na conferência, Stephanie Guico, coordenadora do programa Futuros Líderes. Mesmo havendo painéis especiais e acontecimentos criados para eles, espera-se que os jovens líderes, com idades entre 20 e 35 anos, deem suas próprias contribuições. "Espero que tragam uma voz jovem, ideias inovadoras, perspectivas novas. Espero que não se autocensurem", declarou Guico à IPS. "Há muito a ganhar ouvindo os jovens, que estão mais em contato com a integração na área virtual e com maneiras de colaborar e comunicar que são novas", acrescentou.

Charles Gould, diretor-geral da Aliança Cooperativa Internacional, disse à IPS que "agora há uma geração que cresceu com certo tipo de cooperação por meio das redes sociais", acrescentando que "isto deveria torná-los mais receptivos ao modelo cooperativo, mas não ouço sobre ele como modelo empresarial".

Dev Aujla é especialista em criar conexões por meio das redes sociais para responder a uma necessidade, e será uma das pessoas que dissertarão para os jovens líderes. Aujla, fundador da organização sem fins lucrativos DreamNow, que converte ideias em bens sociais, colaborou na redação de um livro com Billy Parrish, ativista contra a mudança climática que escreve para a revista norte-americana Rolling Stone.

Os caminhos de Parrish e Aujla se cruzaram na internet, como amigos no Facebook que nunca se viram, mas compartilham princípios semelhantes e dedicam suas vidas a mobilizar os jovens para abordar os problemas de suas comunidades. Seu livro Making Good: Finding Meaning, Money and Community in a Changing World (Fazendo o Bem: Encontrando Significado, Dinheiro e Comunidade em um Mundo Mutável) serve como mapa do caminho para jovens interessados em fazer carreira na área dos projetos sociais.

Embora essa carreira possa ter momentos desanimadores, está se convertendo em uma opção atraente para os que querem um emprego que pague suficientemente bem e busque servir a comunidade, observou Aujla. Para os que estão interessados, o modelo das cooperativas pode proporcionar uma base de apoio, porque não exige muito capital e porque com ele "se pode pegar qualquer indústria imaginável e reinventá-la de tal modo que faça o bem", afirmou. O modelo corporativo fala o idioma no qual se criou a geração atual, mediante a exposição ao diálogo sobre mudança climática e outros assuntos ambientais. "Toda esta geração sabe que deseja fazer algo bom e simplesmente se sente atraída", destacou Aujla.

Guico, formada em desenvolvimento internacional, disse que, apesar de os jovens terem maior acesso à informação para se educarem sobre os temas da atualidade, o modelo das cooperativas não lhes é tão familiar porque nem sempre está incluído nos programas acadêmicos. As redes sociais podem ajudar o movimento cooperativo em seus esforços para se conectar com os jovens, mas é preciso mais educação sobre como podem oferecer uma via alternativa para o emprego.

"Sendo realistas, isto exigirá uma apresentação diferente do modelo e uma explicação melhor do mesmo", ressaltou Gould. Foi necessário que Guico fizesse suas próprias pesquisas e conhecesse a pessoa certa para abrir caminho no movimento das cooperativas. O mesmo ocorreu com outras pessoas à sua volta. "A maioria esbarrava com o movimento, o que diz algo sobre o quanto é bom o movimento cooperativo em promover a si mesmo e em comunicar sua identidade", pontuou.

Guico considera que parte do problema está no fato de as cooperativas operarem de um modo mais discreto do que as corporações. "Teríamos que nos impor antes que isso forje uma percepção sobre nossa importância", afirmou. Outro motivo pelo qual as cooperativas não estão nas mentes de muitos jovens é que as escolas não aprofundam no que o modelo oferece, se é que o mencionam, segundo Guico.

"A maioria das instituições educacionais está voltada para o modelo capitalista, que é muito complexo, e tendem a simplificá-lo ou minimizá-lo", explicou Guico. Se não tivesse decidido explorar as cooperativas por sua conta, Guico seguramente teria continuado a pensar que estas somente se dedicavam ao artesanato e a funcionar como pequenas empresas agrícolas, como lhe fizeram crer.

No Canadá, a Saint Mary's University, de Halifaz, oferece curso de mestrado pensado em torno da empresa cooperativa. Este centro de estudos patrocinou o Imagine 2012, encontro sobre economia cooperativa que antecedeu a cúpula. Contudo, o mestrado, que é cursado por pessoas de todo o mundo na internet, está dirigido a cooperativistas inseridos no movimento. A maioria dos estudantes trabalha no setor há 15 ou 20 anos, e busca obter novas ferramentas de administração e se conectar com outros líderes do setor.

Se as pessoas aprendessem sobre este tema da forma como se estuda habitualmente, o cooperativismo estaria muito mais avançado, afirmou Karen Miner, diretora-gerente do programa de Administração, Cooperativas e Uniões de Crédito em Saint Mary's. Dessa forma, "estaríamos muito melhor educados sobre o setor e inclusive sobre nós mesmos. Temos uma grande quantidade de gerentes de cooperativas que procedem das empresas tradicionais, e nisso me incluo", contou Miner à IPS.

A ecossocióloga Laure Waridel, que também falará aos jovens na cúpula, considera que os recursos universitários não valorizam suficientemente a economia social, particularmente na área da administração. Waridel, que deu um curso na McGill University, em Montreal, buscou incorporar algumas lições sobre empreendimentos sociais em suas conferências, convidando oradores que trabalhavam na economia social.

O modelo cooperativo, que se orgulha de abraçar valores democráticos e participativos, permitindo aos jovens ajudar a influir e a moldar o futuro do movimento, tem muito espaço para crescer e somar novos membros, disse Waridel. "A mensagem aos futuros líderes é que precisamos preparar uma transição para outra economia. Está muito claro que o modelo dominante no qual estamos imersos é insustentável", afirmou à IPS. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Yakama Nation Tells DOE to Clean Up Nuclear Waste
 World Cuts Back Military Spending, But Not Asia
 The Iranian Nuclear Weapons Programme That Wasn’t
 U.S. Blasted on Failure to Ratify IMF Reforms
 Developing Nations Seek U.N. Retaliation on Bank Cancellations
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Reforma tributaria chilena se queda a medias
 Ruido de sables entre EEUU y Rusia entorpece reunión nuclear
 Traducciones que matan
 Terrorismo en Nigeria pasa de los machetes a los lanzacohetes
 Indígenas de EEUU exigen limpiar el peor vertedero nuclear del Proyecto Manhattan
MÁS >>