África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

JAPÃO
Sendai compartilha lições de gestão de desastres
Suvendrini Kakuchi

Tóquio, Japão, 15/10/2012 , (IPS) - Os restos da devastada escola primária de Arahama, no município de Sendai, ensinaram algumas lições ao seu diretor, Takao Kawamura, nos meses seguintes à tragédia causada pelo forte terremoto e consequente tsunami que, no dia 11 de março de 2011, atingiram o nordeste do Japão.


Crédito: Suvendrini Kakuchi/IPS
Keiko Shoji (esquerda) dá aula de costura para mulheres afetadas pelos terremoto e tsunami de 2011.
A primeira é que sobrevivemos à horrível tragédia simplesmente porque estávamos preparados para o desastre; a outra é o importante desafio que enfrentamos agora, explicou Kawamura.

"Temos o compromisso de nos preparar melhor para o próximo desastre, aprendendo com os erros daquele dia fatídico", destacou o professor ao falar para um grupo de especialistas em desenvolvimento que visitou a região na semana passada, por ocasião da reunião conjunta de governadores do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, que aconteceu na semana passada em Tóquio.

Nas reuniões anuais do FMI e do Banco Mundial participam diretores de bancos centrais, ministros da Economia ou da Fazenda e Desenvolvimento, executivos de corporações privadas e acadêmicos para debater sobre diferentes temas da atualidade, como as perspectivas econômicas mundiais, erradicação da pobreza, desenvolvimento econômico e a eficácia da ajuda.

Kawamura compartilhou suas ideias com os visitantes no teto da abandonada escola, onde então aterrissou o helicóptero de resgate, enquanto ele ordenava à equipe de professores que protegessem a vida das crianças que ficaram ilhadas após o tsunami de ondas com dez metros de altura que destruiu o restante do prédio. Experiências como a da comunidade de Kawamura mostram a necessidade de o governo japonês e o Banco Mundial colocarem a gestão do risco de desastre na agenda de desenvolvimento de Sendai, capital da província de Miyagi.

A visita dos especialistas internacionais faz parte do Diálogo de Sendai, no qual representantes de organismos multilaterais de crédito, de governos nacionais e locais, do setor privado e da sociedade civil reuniram-se por dois dias para troca de ideias sobre como fortalecer o compromisso internacional para mitigar o impacto de desastres no mundo. O encontro também destacou o interesse colocado na gestão e prevenção de desastres nas reuniões do FMI e do Banco Mundial.

"Aprendemos muitas lições com o desastre, que se refletem no papel do governo da cidade na preparação com vistas a esses fenômenos", disse a prefeita de Sendai, Emiko Okuyama, em seu discurso de abertura do Diálogo. "Com base em uma política de mitigação, assumimos um enfoque integral que inclui a implantação de múltiplas salvaguardas e a criação de uma nova política ambiental com medidas energéticas", acrescentou.

Em Sendai, com 1,6 milhão de habitantes e porta de entrada para o nordeste do Japão, morreram 891 pessoas no terremoto. Não é menor, mas a quantidade de vítimas diminuiu consideravelmente graças aos rígidos códigos de construção para resistir a tremores de terra. Por certo, as histórias dos sobreviventes respondem à necessidade de construir resiliência em nível comunitário, regional e oficial.

Kawamura explicou que Arahama, uma vasta planície salpicada por 1.600 casas a 15 quilômetros de Sendai, tem um dos melhores programas de preparação para desastres. Por isso, nenhum dos alunos morreu na escola, acrescentou. Após o terremoto e o tsunami, as crianças não entraram em pânico porque as simulações de resgate eram feitas regularmente na escola. Uma delas, inclusive, armazenou os suprimentos. De fato, poucos dias antes de 11 de março de 2011, Kawamura decidiu que os suprimentos que estavam no ginásio fossem armazenados em áreas altas, o que evitou que fossem levados pelo tsunami. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 OPINION: Civil Society Calls For Impartial Inquiry on Air Crash and Catastrophe in Ukraine
 Africa-U.S. Summit – Catching Up With China?
 The Age of Survival Migration
 New York’s Homeless Pushed Deeper into the Shadows
 Obama Mulling Broader Strikes Against ISIS?
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Masivas deportaciones no rompen sueños migratorios de hondureños
 Fomentar una ciudadanía global es vital para los ODS
 Giro radical de Europa frente a los conflictos en Siria e Iraq
 Las mujeres “rotas” tienen otra oportunidad en Afganistán
 Las razones por las que Kazajstán desmanteló su arsenal nuclear
MÁS >>