África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

O desenvolvimento começa pelo vaso sanitário
Thalif Deen

Nações Unidas, 19/11/2012 , (IPS) - Ativistas aproveitarão a comemoração, hoje, do Dia Mundial do Vaso Sanitário, para reafirmar que a água e o saneamento devem ter prioridade nas novas Metas de Desenvolvimento Sustentável (MDS).


Crédito: Manipadma Jena/IPS
A água e o saneamento objetivam a saúde, a educação e o sustento das pessoas.
A diretora de sustentabilidade da organização Wash Advocates, Jennifer Platt, disse à IPS que este dia é uma grande oportunidade para pensar em água, saneamento e higiene. Esses temas são a base da saúde pública, e, portanto, devem estar entre os primeiros a serem considerados em qualquer iniciativa de desenvolvimento, acrescentou.

"A água, o saneamento e a higiene sustentáveis para todos devem, sem dúvida, ser incluídos entre os principais MDS que serão estabelecidos para depois de 2015", quando vencer o prazo para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), destacou Platt. Água e saneamento não são um desses oito ODM primários, mas estão mencionados dentro do que propõe conseguir a sustentabilidade ambiental. A meta para 2015 é reduzir em 50% a proporção de pessoas sem acesso a água potável ou saneamento.

Atualmente, mais de 800 milhões de pessoas não têm acesso a água potável e mais de 2,5 bilhões vivem sem saneamento adequado. A maioria dos países do Sul em desenvolvimento fizeram limitados progressos no fornecimento de água potável, mas as metas sobre salubridade continuam longe de serem alcançados. Platt afirmou que o documento em discussão na Organização das Nações Unidas (ONU) sobre as MDS constitui um alarmante exemplo da contínua omissão do tema em muitas agendas internacionais de desenvolvimento.

Cerca de 2,5 bilhões de pessoas ainda carecem de saneamento e, portanto, a questão não estará resolvida da noite para o dia, segundo Platt. "Pode- se dizer que ter água, saneamento e higiene sustentáveis garante a eficácia de cada uma das áreas, como emprego juvenil, eficiência energética, segurança alimentar, cidades sustentáveis e manejo de oceanos", pontuou. Por outro lado, Hannah Ellis, administradora de campanhas internacionais da organização WaterAid, com sede em Londres, disse à IPS que a água e o saneamento são direitos básicos que objetivam a saúde, a educação e o sustento das pessoas. Os problemas associados com a falta de acesso têm impacto praticamente em todos os aspectos do desenvolvimento econômico.

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio expirarão em menos de três anos e, no entanto, um em cada dez habitantes do planeta ainda não tem acesso a água potável e cerca de 40% da população mundial carece de acesso a serviços de salubridade adequados, apontou Ellis. "Se continuarem as atuais tendências, a meta de reduzir pela metade a proporção de pessoas que vivem sem serviços adequados de saneamento será alcançada somente em 2165, 150 anos depois do previsto", alertou. "Seria um bom começo fixar uma nova meta para obter o acesso universal a serviços básicos de água e saneamento até 2030", acrescentou Ellis.

Nick Burn, chefe de programas da Water for People, disse à IPS que água e saneamento têm um papel vital no desenvolvimento socioeconômico dos países e, portanto, devem ocupar um lugar central nas novas metas. "Porém, quando definimos o êxito simplesmente por ter acesso a infraestrutura, nos negamos a oferecer uma solução permanente que permitiria um desenvolvimento sustentável geral", acrescentou. Como exemplo, alertou que apenas instalar latrinas não basta. Às vezes quebram e ninguém conserta, ou ficam cheias e ninguém leva seu conteúdo para fossas sépticas.

"Esta é uma falha do desenvolvimento internacional, pois não fornece um serviço que se mantenha no futuro", destacou Burn. Para progredir devem ser estabelecidos serviços de água e saneamento duradouros. "Devemos supervisionar nossos progressos rumo a essa meta com indicadores claramente definidos que constatem se os serviços fornecidos são adequados e atendem a crescente demanda das populações em expansão", opinou.

O governo da Finlândia, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, a ONU Mulheres, a WaterAid e a relatora especial das Nações Unidas sobre o direito humano a água potável e saneamento divulgaram um comunicado conjunto pedindo a inclusão específica do tema na nova agenda de desenvolvimento. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio conseguiram captar a tão necessária atenção para problemas antes marginalizados, como defecação ao ar livre, mortalidade materna e infantil e necessidade de acesso sustentável a água potável.

"A comunidade internacional aprendeu com este processo, e agora deve procurar um mais alto", diz a declaração. Às vésperas do início das consultas sobre as MDS, "acreditamos que o mundo deve alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e construir sobre eles, mas também elaborar 11 metas ainda mais ambiciosas. As metas devem criar incentivos para a mudança, uma mudança que alcance cada pessoa", acrescenta o texto.

A declaração conjunta também afirma que a futura agenda para o desenvolvimento deve ter a missão de enfrentar um dos mais persistentes desafios da humanidade: as desigualdades no acesso a serviços essenciais. "Devemos ter um mundo comprometido com o fim do sofrimento desnecessário de milhares de milhões de pessoas que continuam vivendo sem saneamento e água potável", ressalta o texto. Envolverde/IPS (FIN/2012)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Pro-Israel Hawks Take Wing over Extension of Iran Nuclear Talks
 OPINION: How Ebola Could End the Cuban Embargo
 U.S. Missing in Child Rights Convention
 A Game-Changing Week on Climate Change
 Iranians Keep Hope Alive for Final Nuclear Deal
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Pueblo indígena vence a la sequía y la desnutrición en Honduras
 Empresas joyeras toman medidas para eliminar el “oro de conflictos armados”
 Parapléjicos de Pakistán aprenden a valerse por sí mismos
 El decrecimiento busca redefinirse
 Sociedad centroamericana pide proteger su agricultura en COP 20
MÁS >>