África
  Mundo
  Economía
  Direitos Humanos
  Saúde
  Ambiente
  Globalização
  Arte e Cultura
  Energia
  Politica
  Desenvolvimento
  Colunistas
 
  RSS o que é isso?
   ENGLISH
   ESPAÑOL
   FRANÇAIS
   SVENSKA
   ITALIANO
   DEUTSCH
   SWAHILI
   MAGYAR
   NEDERLANDS
   ARABIC
   POLSKI
   ČESKY
   SUOMI
   PORTUGUÊS
   JAPANESE
   TÜRKÇE
PrintSend to a friend
 

Fundo dos ODM impulsiona segurança alimentar
Thalif Deen

Roma, Itália, 20/6/2013, (IPS) - Desde sua criação em 2007 para ajudar as nações do Sul a lutarem contra a pobreza, a fome, o analfabetismo, as doenças e a discriminação, o Fundo para o Êxito dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (F-ODM) financiou aproximadamente 130 programas conjuntos em 50 países.


Crédito: Milagros Salazar.
Muitas crianças da Amazônia peruana sofrem desnutrição.
Regina Gallego, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), agência que supervisiona os esforços referentes aos ODM, disse que apenas o programa do Fundo sobre nutrição ajudou a redigir ou revisar cerca de 25 planos nacionais sobre o assunto, estimulou a criação de 270 escolas e jardins comunitários e melhorou o acesso à saúde de aproximadamente 534 mil cidadãos.

"Direta ou indiretamente, nossa contribuição melhorou o status nutricional de mais de 900 mil crianças, bem como de 170 mil mulheres grávidas e mães lactantes", informou Gallego, especialista do Pnud em gestão do conhecimento. O F-ODM, de US$ 700 milhões, é um esforço de colaboração entre o governo da Espanha e a Organização das Nações Unidas (ONU), envolvendo as várias agências. O financiamento está concentrado em oito temas: infância, segurança alimentar e nutrição; igualdade de gênero e empoderamento de mulheres; meio ambiente e mudança climática; emprego juvenil e migrações; governança econômica democrática; desenvolvimento e setor privado; prevenção de conflitos e consolidação da paz; cultura e desenvolvimento.

Raúl de Mora Jiménez, especialista em comunicações do Pnud, disse à IPS que o Fundo trabalha ativamente assistindo vários países. Por exemplo, atualmente está trabalhando para melhorar as condições dos indígenas no Brasil, onde quatro em cada dez vivem em pobreza extrema e mais da metade das crianças apresenta anemia. A Iniciativa dos EcoFornos é parte de um programa conjunto da ONU chamado Promovendo a Segurança Alimentar e a Nutrição para Meninos e Meninas Indígenas do Brasil, uma colaboração entre o governo brasileiro e cinco agências das Nações Unidas destinada a melhorar o nível nutricional de populações nativas.

As cinco agências são Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Pnud. No Peru, as crianças indígenas das regiões dos altos Andes e da Amazônia apresentam algumas das maiores taxas de desnutrição do mundo: mais da metade sofre desnutrição crônica, e muitas são anêmicas e apresentam deficiências de vitamina A. O F-ODM apoia os esforços do governo peruano para melhorar a segurança alimentar e a nutrição em quatro das regiões mais pobres do país, acelerando a implantação da estratégia nacional CRECER.

Na Etiópia, a nutrição melhorou para as crianças menores de cinco anos, destacou Jiménez, mas isto deve sofrer uma aceleração para que este país atinja a meta de reduzir, até 2015, o número de pessoas que sofrem fome. Para isso, o governo etíope desenvolveu uma Estratégia de Nutrição Nacional e um Programa de Nutrição Nacional, que se incluem no programa conjunto do F-ODM. No Vietnã, o programa do F-ODM está concentrado em melhorar a segurança alimentar com um aumento da produção e do consumo de alimentos de qualidade, bem como na administração de suplementos nutricionais.

Esta é tanto uma estratégia de curto prazo para tratar os atuais níveis de desnutrição - através de suplementos de ferro e vitamina A -, como uma estratégia de longo prazo para fornecer uma dieta de maior qualidade por meio de sistemas de produção melhorados, incluindo produtos animais (carne e leite) e de aquicultura.

Gallego disse à IPS que a tendência geral dos indicadores dos ODM indica que, apesar dos progressos, erradicar a fome extrema ainda é um grande desafio. Estima-se que estão desnutridas cerca de 850 milhões de pessoas, ou aproximadamente 15% da população mundial, enquanto um em cada cinco menores de cinco anos no Sul em desenvolvimento tem peso inferior ao adequado. Contudo, a segurança alimentar começa a ganhar terreno nas agendas nacionais de uma forma sistemática e estruturada, destacou.

Gallego afirmou que foi possível extrair várias lições dos programas do F-ODM e, portanto, assegurou que é possível alcançar a meta de reduzir pela metade a proporção de pessoas que sofrem extrema pobreza. É preciso traçar um vínculo entre segurança alimentar e nutrição para concretizar o Desafio da Fome Zero, argumentou. E acrescentou que para as pessoas terem alimento suficiente, mas principalmente alimento nutritivo, é necessário reconhecer a estreita ligação entre os dois temas.

"Em outras palavras, não se deve considerar apenas a quantidade de alimentos, mas também outros aspectos, com o valor nutritivo e sua acessibilidade, bem como a qualidade de saúde, o status socioeconômico e o nível de conhecimentos da população", acrescentou Gallego. Envolverde/IPS (FIN/2013)

 
Terramérica - Meio Ambiente e Desenvolvimento
  Mais noticias
News in RSS
 Sri Lanka recorre e métodos ancestrais contra a mudança climática
 Salva-vidas afunda ainda mais a Grécia
 Ampliação de estrada atenta contra patrimônio cultural indiano
 A ignorada faceta produtiva da cannabis
 DESTAQUES: Código de barras até em colmeias
 REPORTAGEM: Estrada no Parque Nacional do Iguaçu pode acabar em impasse
 "Quando a corda da desigualdade se rompe, você tem uma crise política"
 Direitos femininos serão eixo de reunião do UNFPA em Montevidéu
 Preocupa que tensão entre Rússia e Estados Unidos afete negociação nuclear
 Trabalhadores espanhóis vítimas de disputa entre Madri e Gibraltar
MAIS>>
  Latest News
News in RSS
 Yakama Nation Tells DOE to Clean Up Nuclear Waste
 World Cuts Back Military Spending, But Not Asia
 The Iranian Nuclear Weapons Programme That Wasn’t
 U.S. Blasted on Failure to Ratify IMF Reforms
 Developing Nations Seek U.N. Retaliation on Bank Cancellations
MORE >>
  Ultimas Noticias
News in RSS
 Japón busca trabajadores extranjeros, a regañadientes
 Recrudece la persecución a homosexuales en Uganda
 Milicias cristianas se dividen en el norte de Siria
 Reforma tributaria chilena se queda a medias
 Ruido de sables entre EEUU y Rusia entorpece reunión nuclear
MÁS >>