:
Denúncia de corrupção eleva tensões internas no Irã
Correspondentes da IPS
Doha, Catar, 5/2/2013 (IPS) - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, acusou de corrupção o irmão do chefe do parlamento, aprofundando as diferenças entre duas das figuras políticas mais importantes desse país, quando faltam pouco mais de quatro meses para as eleições presidenciais de 14 de junho.

O mandatário e seu gabinete estavam no parlamento, no dia 3, para assistir o julgamento político do ministro do Trabalho, Abdolreza Sheijoleslami, quando Ahmadinejad apresentou sua acusação contra Fazel Lariyani, irmão do presidente do Poder Legislativo, Ali Lariyani.

Ahmadinejad difundiu uma gravação inaudível na qual supostamente Fazel afirma que usou da influência de sua família para obter benefícios econômicos. Os dois irmãos desmentiram a denúncia. "Nosso problema é que o presidente não observa as regras mínimas de uma conduta apropriada", declarou Ali Lariyani ao criticar aos comentários do mandatário como completamente fora de lugar no processo contra Sheijoleslami. "De fato, é melhor que você tenha reproduzido essa gravação hoje, para que o povo entenda melhor seu caráter", acrescentou.

A jornalista da rede de televisão árabe Al Jazeera, Soraya Lennie, informou, de Teerã, que "a maior parte das reações foi negativa e crítica em relação a Ahmadinejad. Um parlamentar afirmou que o presidente não está agindo de acordo com seu cargo". Na sessão do dia 3, Ali Lariyani disse ao mandatário que o parlamento não é o local adequado para debater sobre corrupção e que deveria dirigir suas acusações às autoridades pertinentes. Também negou um pedido de Ahmadinejad para voltar a fazer uso da palavra.

O presidente afirmou que a gravação registrando uma conversa entre Saeed Mortazavi, um homem de seu círculo, e Fazel Lariyani, mostra este último garantindo que pode usar a influência de seu irmão para vencer obstáculos em troca de participar de determinados negócios. Os Lariyani formam uma das famílias políticas mais poderosas e influentes do Irã. Sadeq, irmão de Fazel e Ali, encabeça o Poder Judiciário. Fazel afirmou à agência de notícias iraniana Fars que apresentará uma denúncia judicial contra Ahmadinejad e Mortazavi, por "divulgarem mentiras e alterarem a opinião pública. Este foi um ato de conspiração e hipócrita. Não sou a primeira pessoa atacada por estes indivíduos mafiosos", ressaltou. Envolverde/IPS

* Publicado sob acordo com a Al Jazeera. (END/2013)