:
Coreia do Norte ameaça os Estados Unidos e a ONU pune
Correspondentes da IPS
Doha, Catar, 8/3/2013 (IPS) - A Coreia do Norte ameaçou lançar um ataque preventivo contra os Estados Unidos, e o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou novas sanções contra Pyongyang em razão de seus últimos testes nucleares.

O órgão mais poderoso das Nações Unidas adotou ontem, por unanimidade, uma resolução, redigida por Estados Unidos e China, aliada mais próxima de Pyangyong, ordenando sanções comerciais, financeiras e de viagem à Coreia do Norte como castigo pelos testes atômicos subterrâneos que realizou no mês passado.

Por seu lado, Pyongyang acusou Washington de realizar manobras militares em território sul-coreano como preparação para um enfrentamento bélico, e declarou nulo o armistício que pôs fim à Guerra da Coreia (1950-1953). "Como os Estados Unidos estão a ponto de iniciarem uma guerra nuclear, estamos exercendo nosso direito a um ataque atômico preventivo contra a base central do agressor, com a finalidade de proteger nosso interesse supremo", afirma uma declaração do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano divulgado pela agência de notícias oficial KCNA.

A Coreia do Norte realizou testes nucleares subterrâneos no dia 12 de fevereiro, desafiando resoluções prévias da ONU, e anunciou que obteve progressos no desenvolvimento de seu arsenal atômico. Apesar das ameaças, acredita-se que Pyongyang ainda não alcançou a tecnologia necessária para produzir uma ogiva suficientemente pequena para colocá-la em um míssil capaz de atingir solo norte-americano. Porém, acredita-se que teria combustível atômico suficiente para fabricar alguns poucos explosivos rudimentares.

A chancelaria norte-coreana também afirmou que tem o direito de adotar ações militares no dia 11 de março, quando se prevê que as manobras militares conjuntas dos Estados Unidos e da Coreia do Sul acontecerão em uma escala maior. Em 2010, a Coreia do Norte bombardeou a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, matando dois civis. Além disso, no começo deste ano Pyongyang teria sido responsável pelo afundamento de um navio de guerra sul-coreano matando 46 marinheiros.

Seul e Washington, que realizarão seus exercícios militares conjuntos anuais até abril, observam de perto das atitudes da Coreia do Norte para detectar se suas manobras podem derivar em um ataque, informou ontem o Ministério da Defesa da Coreia do Sul. "Não é frequente a Coreia do Norte realizar manobras militares neste nível", disse Kim Min-seok, porta-voz do Ministério. "Estamos observando as atividades do Norte e acelerando preparativos, assumindo que essas manobras podem derivar em uma provocação a qualquer momento", acrescentou. Envolverde/IPS

* Publicado sob acordo com a Al Jazeera. (END/2013)